Correlation between maximum isometric strength variables and specific performance of Brazilian military judokas

  • Michel Moraes Gonçalves Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército (IPCFEx). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
  • Claudio Joaquim Borba-Pinheiro Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA). Universidade do Estado do Pará (UEPA) campus de Tucuruí
  • Runer Augusto Marson Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército (IPCFEx).
  • Lucas Rodrigues Camposo Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx).
  • Alam dos Reis Saraiva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA).
  • Jefferson da Silva Novaes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Abstract

It was our objective to correlate specific performance in the Special Judo Fitness Test (SJFT) and the maximum isometric handgrip (HGSMax), scapular traction (STSMax) and lumbar traction (LTSMax) strength tests in military judo athletes. Twenty-two military athletes from the judo team of the Brazilian Navy Almirante Alexandrino Instruction Centre, with average age of 26.14 ± 3.31 years old, and average body mass of 83.23 ± 14.14 kg participated in the study. Electronic dynamometry tests for HGSMax, STSMax and LTSMax were conducted. Then, after approximately 1 hour-interval, the SJFT protocol was applied. All variables were adjusted to the body mass of the athletes. Pearson correlation coefficient for statistical analysis was used. The results showed moderate negative correlation between the SJFT index and STSMax (r= -0.550, p= 0.008), strong negative correlations between the SJFT index and HGSMax (r= -0.706, p< 0.001), SJFT index and LTSMax (r= -0.721; p= 0.001), besides the correlation between the sum of the three maximum isometric strength tests and the SJFT index (r= -0.786, p< 0.001). This study concludes that negative correlations occur between the SJFT index and maximum isometric handgrip, shoulder and lumbar traction strength and the sum of the three maximum isometric strength tests in military judokas.

Author Biographies

Michel Moraes Gonçalves, Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército (IPCFEx). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Chefe da seção de Biomecânica do Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército.

Chefe da Equipe de Karate do Exército.

Claudio Joaquim Borba-Pinheiro, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA). Universidade do Estado do Pará (UEPA) campus de Tucuruí

Professor de ensino básico/técnico/tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) campus de Tucuruí e professor universitário Adjunto da Universidade do Estado do Pará (UEPA) campus de Tucuruí.

Treinador de Judo.

Runer Augusto Marson, Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército (IPCFEx).
Coordenador científico da seção de Biomecânica do Instituto de Pesquisa da capacitação Física do Exército.
Lucas Rodrigues Camposo, Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx).

Oficial de Treinamento Físico Militar no corpo de tropa.

Atleta de judo do Exército.

Alam dos Reis Saraiva, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA).

Aluno do Pós Doutorado em Vila Real - Portugual - Universidade Trás os Montes e Alto Douro.

Técnico de Judo de Alto Rendimento.

Jefferson da Silva Novaes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Published
2017-06-03
Section
Original Article