Consulta de Enfermagem: Intervenção dos Enfermeiros com pessoas portadoras de PMD e CDI. Um estudo qualitativo

  • José Amendoeira Instituto Politécnico de Santarém - Escola Superior de Saúde; Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS); Investigador Colaborador do Centro de Investigação e Qualidade de Vida (CIEQV); Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS) – Investigador Integrado no Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde da Universidade Católica Portuguesa (CIIS/UCP); Portugal
  • Anabela Cândido Instituto Politécnico de Santarém - Escola Superior de Saúde; Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS) - Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Cassilda Sarroeira Instituto Politécnico de Santarém - Escola Superior de Saúde; Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS) - Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Fátima Cunha Instituto Politécnico de Santarém - Escola Superior de Saúde; Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS) - Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Alda Lino Hospital Dr. Fernando Fonseca; Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Helena Ribeiro da Silva Hospital Dr. Fernando Fonseca; Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Patrícia Fernandes Hospital Dr. Fernando Fonseca; Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS); Portugal
  • Elsa Silva Hospital Dr. Fernando Fonseca; Unidade de Monitorização de Indicadores de Saúde (UMIS) Portugal
Palavras-chave: Consulta de Enfermagem, Enfermeiro, Intervenção, Pacemaker/Cardioversor-Desfibrilhador

Resumo

Introdução: Este estudo decorre da primeira fase de um projeto desenvolvido pela UMIS (ESSS) em parceria com um Hospital da RSLVT, com enfermeiros que realizam consulta de enfermagem (CE) a portadores de Pacemaker-definitivo (PMD) ou Cardioversor-Desfibrilhador-Implantável (CDI). Os enfermeiros procuram promover a capacidade de autocuidado destas pessoas, sendo a consulta um contexto privilegiado para a implementação da sua intervenção. Objetivo: Descrever a intervenção do enfermeiro na CE com as pessoas portadoras de PMD ou CDI. Método: Estudo exploratório, descritivo, qualitativo. População - enfermeiros que realizam a CE. Dados recolhidos através de narrativas, objeto de análise de conteúdo. Resultados: identificados três temas e respetivas categorias: Avaliação inicial (função/razão para a ação/ação); Intervenção do enfermeiro (observar/gerir/atender/informar); Avaliação dos resultados das intervenções (integridade funcional/estrutural e Ação de autocuidado). Conclusões: A intervenção do enfermeiro na CE evidencia a dimensão autónoma nas diferentes etapas do processo de cuidados à pessoa enquanto agente de autocuidado.

Publicado
2018-12-21