A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA EM ENFERMAGEM NA TRANSIÇÃO PARA O ESTATUTO FAMILIAR-CUIDADOR: UMA SCOPING REVIEW

  • Arminda Dinis Matos Centro Hospitalar de Leiria
  • Mónica Neves Mendes Centro Hospitalar de Leiria
  • Sandra Maria Bispo ACES Medio Tejo - USF Almonda, Portugal
  • José Amendoeira Instituto Politécnico de Santarém, Coordenador da Unidade de Monitorização de Indicadores em Saúde, Investigador da UI_IPS, Investigador integrado no CIIS_UCP, Investigador colaborador do CIEQV, Portugal
Palavras-chave: Comunicação Terapêutica, Enfermagem, Estatuto Familiar-Cuidador, Transição

Resumo

A passagem para o estatuto de familiar-cuidador é reconhecida como um processo de transição complexo, o qual representa frequentemente um enorme desafio ao familiar-cuidador que se torna o principal agente do autocuidado da pessoa com dependência. É por isso fundamental que o familiar-cuidador seja envolvido no processo terapêutico no sentido de ser capacitado para assumir esse papel eficazmente. Assim, esta Scoping Review teve como objetivo identificar contributos da Comunicação Terapêutica em Enfermagem na transição para o estatuto familiar-cuidador. A pesquisa foi efetuada na plataforma EBSCOhost, nas bases de dados científicas CINAHL Complete, Medline Complete, Nursing & Allied Health Collection: Comprehensive, e, MedicLatina; na base de dados científica PubMed; e, na ProQuest (Unpublised). Como principal conclusão verificou-se ser importante melhorar redes de comunicação para empoderar a pessoa e sua família com conhecimentos e estratégias adaptativas face à adversidade e que para capacitar o familiar-cuidador é fundamental incluí-lo no processo de comunicação.

Publicado
2020-04-11