A CRIANÇA-FAMÍLIA. DA CENTRALIDADE DOS CUIDADOS À RELAÇÃO DE PARCERIA

  • Marta Sofia Bento Instituto Politécnico de Santarém
  • Regina Ferreira Instituto Politécnico de Santarém. Unidade de Monitorização de Indicadores em Saúde. Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém. Portugal
  • José Amendoeira Instituto Politécnico de Santarém, Coordenador da Unidade de Monitorização de Indicadores em Saúde, Investigador da UI_IPS, Investigador integrado no CIIS_UCP, Investigador colaborador do CIEQV, Portugal
Palavras-chave: Cuidados centrados na pessoa, Cuidados de saúde primários, Enfermagem de família, Parentalidade

Resumo

A criança representa o futuro e como se sabe a criança aprende e apreende através dos estímulos que receciona do meio externo. Após o nascimento os primeiros estímulos que o bebe recebe advêm dos pais. E para um melhor desenvolvimento quer motor quer cognitivo desta criança os pais terão de estar munidos de certos conhecimentos. O acompanhamento do desenvolvimento da criança por parte de um enfermeiro, principalmente em cuidados de saúde primários é de extrema importância. Neste sentido e com o objetivo de descrever a intervenção do enfermeiro face aos cuidados direcionados à criança-família e tendo em conta a forma de capacitar a família ou cuidadores para a Parentalidade, realizamos uma “scoping review” a qual resultou na escolha de estudos que contribuíram para a resposta à questão formulada. Provando então que a intervenção do enfermeiro junto dos pais é de extrema importância para o desenvolvimento da criança.

Publicado
2020-04-12