INTRODUÇÃO E EXPLORAÇÃO DA COLHER NA INFÂNCIA EM CONTEXTO FAMILIAR

  • Catela David Life Quality Research Centre (CIEQV), Portugal. Research Unity of the Polytechnic Institute of Santarém (UIIPS), Portugal. https://orcid.org/0000-0003-0759-8343
  • Ana Leonardo Instituto Politécnico de Santarém
  • Beatriz Patrício Instituto Politécnico de Santarém
  • Mafalda Castelo Instituto Politécnico de Santarém
  • Matilde Nunes Instituto Politécnico de Santarém
  • Ana Paula Seabra Life Quality Research Centre (CIEQV), Portugal. Research Unity of the Polytechnic Institute of Santarém (UIIPS), Portugal. https://orcid.org/0000-0002-0219-2881

Resumo

Durante o processo de apropriação da colher, as crianças precisam detetar e adquirir uma série de competências motoras funcionais, bem como certas normas sociais associadas ao uso deste utensílio. Com este estudo descritivo pretendemos obter informação sobre a sequenciação temporal de acesso à colher e aos outros talheres, e quais as explorações que as crianças fazem em contexto familiar português. Foram obtidos dados relativos a 115 crianças pequenas portuguesas, através de questionário estruturado on-line. Os resultados revelam que: i) há uma noção clara que a criança necessita de um objeto escalado ao tamanho da sua mão; ii) a colher favorece a oportunidade de brincar físico, funcional, solitário e social; iii) explorar colher - usar colher - explorar garfo - explorar faca é a sequência temporal de acesso aos talheres, significativamente faseada durante toda a primeira infância; iv) a criança pequena consegue explorar a colher como instrumento para outras funções que não as relacionadas com comer. Assim, a colher possui um potencial muito diversificado para aprendizagem do uso de um instrumento, para a exploração de propriedades funcionais de objetos e para o desenvolvimento social e cultural da criança pequena.

Publicado
2020-07-31