2018 | Artigo do Ano

A​ Finisterra felicita os/as vencedores/as do Pr​é​mio Melhor Artigo de 2018.

Os/as vencedores/as são determinados por votação. Os manuscritos publicados na Finisterra são avaliados pela clareza da escrita e conteúdo, organização, gráficos, contribuição para o conhecimento, etc.

​No dia 5 de dezembro, após a Conferência Anual de Finisterra (Ayona Datta), os membros presentes do ​painel de juízes anunciaram os vencedores.

O Artigo do Ano da Finisterra, destinado a premiar o melhor artigo publicado na revista em 2018, foi atribuído a:

​Marina Carreiras, Integração socioespacial dos bairros de habitação social na Área Metropolitana de Lisboa, Finisterra – Revista Portuguesa de Geografia, LIII(107), 67‑85.

Este artigo reflete sobre a condição urbana dos bairros de habitação social na Área Metropolitana de Lisboa (AML), no que se refere à integração socioespacial e relações desta com o desenvolvimento urbano, as políticas públicas e estratégias locais de atuação nos bairros. Assume-se uma perspetiva multiescalar, que parte de uma análise extensiva dos bairros sociais na AML, para chegar a um estudo intensivo da situação de três bairros localizados em municípios distintos da Grande Lisboa. Para a concretização da investigação, para além da análise bibliográfica, recorreu-se a uma combinação de métodos quantitativos, qualitativos e cartográficos. Os resultados evidenciam lacunas na integração socioespacial dos bairros de promoção municipal a múltiplos níveis geográficos e confirmam a existência de desigualdades socioespaciais enquanto fenómeno multinível que se expressa em diversas dimensões analíticas, designadamente a funcional, a física, a simbólica e a relacional. Contribuem para estes défices de integração socioespacial, o reduzido parque de alojamento social e o seu direcionamento quase exclusivo para as famílias insolventes, a edificação dos empreendimentos num contexto de desarticulação urbana e os limitados impactos dos programas, práticas e ações sociais e socioterritoriais incidentes nos bairros, no que se refere a contributos efetivos para a sua integração socioespacial.

 

Menções Honrosas do Júri:

a) Brenda Matossian Desigualdades y fronteras (in) materiales en San Carlos de Bariloche, Patagonia, Argentina, Finisterra – Revista Portuguesa de Geografia, LIII(107), 107-123.

El estudio de las ciudades en la actualidad implica distintos tipos de desafíos analíticos, uno es cómo dar cuenta de la polarización y profundización de las divisiones sociales del espacio urbano. Para ello, se propone considerar el análisis diacrónico de las fronteras materiales y simbólicas dentro de la ciudad como una clave para comprender la génesis y derivaciones de estos procesos. Este abordaje involucra un íntimo diálogo con los modos de expansión urbana, con especial énfasis en el accionar estatal, desde distintas escalas y momentos históricos. El estudio de caso es la localidad patagónica de San Carlos de Bariloche. La estrategia metodológica busca reconstruir las distintas fronteras que marcaron a esta ciudad en el tiempo y desde distintas escalas; a partir de la triangulación de fuentes diversas. Desde una perspectiva que pondera la mirada geo-histórica, se busca hacer foco en las huellas, más o menos visibles, que deja el crecimiento de la ciudad, reconociendo cómo las improntas del pasado han definido, desde una lógica hegemónica, sectores del espacio y de la sociedad más o menos legítimos sobre los que operan distintas dimensiones de las desigualdades socio-territoriales.

 

b) Patrícia Ribeiro, João Ferrão, Júlia Seixas Mainstreaming climate adaptations in spatial planning: the case of Baixa Pombalina in Lisbon, Finisterra – Revista Portuguesa de Geografia, LIII(108), 15-38.

Baixa Pombalina is the historical downtown area of Lisbon city, close to the Tagus estuary, sheltering many economic activities with tourism at first. This paper assesses and maps the vulnerability of the area, at the neighbourhood scale, to floods episodes and sea level rise. The methodology outlines how the different components of vulnerability are tackled, while taking the importance of the local context to the definition of composite indexes. Twenty two vulnerability hotspots were found, for which six adaptation options are proposed to be embedded into Plano de Pormenor currently in place.

 

Júri do Artigo do Ano 2018 foi composto por: Jorge Malheiros (Presidente | President) (CEG, IGOT, ULisboa, Portugal), João Cabral (Faculdade de Arquitetura, ULisboa, Portugal), Joseli Maria Silva (Universidade Estadual de Ponta Grossa, Brasil), José Carlos Teixeira (University of British Columbia, Canadá), Núria Benach (Universitat de Barcelona, Espanha), Maria Helena Esteves (CEG, IGOT, ULisboa, Portugal), Nuno Costa (CEG, IGOT, ULisboa, Portugal)