CEMETERY TOURISM IN LOURES: THE VALUE OF THE TRANSFIGURATION OF A CEMETERY

  • Ana Paula Assunção Doutoranda em “Turismo” do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa, Historiadora e Museóloga, e Conservadora Assessora Principal (Técnica Superior) na Divisão de Serviços Públicos Ambientais/Departamento do Ambiente da Câmara Municipal de Loures

Resumo

A necrópole ocidental estruturou-se como uma textura de signos e de símbolos que evocam a memória e a presentificam por rituais que desde o séc. XVIII se reproduzem em busca da eternidade. Trabalhando com as constantes memórias, proto memórias e meta memórias, a evocação do/a ausente tem vindo a permitir a criação de variados discursos, sendo a sua transfiguração em recurso cultural, patrimonial e turístico uma matéria considerada em várias práticas a nível global. As utilizações do cemitério desde o final de década de 90 do século XX acentuaram-se e deram origem a conceitos e perspetivas diferenciadas que rodearam a visita a um cemitério: o cemitério é hoje um repositório de uma variada panóplia de atitudes perante a morte e os seus registos. Este artigo compila a informação já existente a nível científico, sobre turismo em contexto de cemitério; analisa as abordagens previamente produzidas e aplica um estudo de caso, empírico, cemitério municipal de Loures, para tirar conclusões fiáveis e contribuir para a investigação científica neste campo do turismo em cemitério. Uma das principais conclusões recai na verificação da possibilidade de prática de turismo cemiterial em cemitérios não românticos, como o de Loures.

Publicado
2019-08-30
Secção
Artigos