Family satisfaction with palliative care

  • Olivério Ribeiro Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde, UICISA:E, Viseu, Portugal
  • Sílvia Lima Centro Hospitalar Tondela-Viseu, Viseu, Portugal
  • João Duarte Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde, UICISA:E, Viseu, Portugal
Keywords: palliative care, family, satisfaction

Abstract

Introduction: The satisfaction of families with the care provided to patients in Palliative Care (PC) is considered an important indicator of their quality, with the nurse assuming a prominent position. 

Objetives: To evaluate the degree of satisfaction of family members of patients hospitalized in PC regarding the care provided and to analyze their relationship with sociodemographic variables. 

Methods: Quantitative descriptive-correlational study in a non-probabilistic sample for convenience of 96 relatives of patients hospitalized in the Center of Portugal, using a questionnaire of sociodemographic data and the FAMCARE Scale, translated and validated in Portugal by Almeida (2012). 

Results: The family members are 67.7% women, assuming themselves as primary caregivers (73.8%), aged ≤ 64 years (84.6%). The degree of kinship is Child (41.7%), live with a partner (64.6%) and with their children (56.3%). They have basic education, with no previous experience in PC (90.6%), live in an urban environment (54.2%), exercise a profession (61.5%) and have no experience in the health area (87.5%). 

Family members are satisfied with the care (X = 40.50 ± 13.72). They are more satisfied with the information given and physical care and less satisfied with psychosocial care. 

Conclusions: There is still a long way to go in order to improve satisfaction with care, particularly about psychosocial care, in order to promote its continuous improvement. 

References

Almeida, A. (2012). A família em cuidados paliativos avaliação da satisfação dos familiares dos doentes em cuidados paliativos: contributo para a validação da escala FAMCARE. Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina. Acedido em http://repositório.ul.pt/handle/10451/6832. Anderson, E. W., Fornel, C. & Lehmann, D. R. (1994). Customer satisfaction, market share and profitability: Findings From Sweden. Journal of Marketing, 58, 53-66. Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) (2016). Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos em Portugal. Acedido em http: https://www.apcp.com.pt/uploads/Ministerio_da_Saude_Proposta_vf_enviado.pdf.

Bica, I. Cunha, M., Andrade, A., Dias, A., & Ribeiro, O. (2016) O doente em Situação Paliativa: implicações da funcionalidade familiar na satisfação dos familiares face aos cuidados de saúde. Viseu. Revista Servir, 4, 31-35.

Capelas, M. (2014). Indicadores de Qualidade Para os Serviços de Cuidados Paliativos. Lisboa: Universidade Católica Editora. 295p. ISBN:978-972-54-0408-9.

Capelas, M. (2018). Caracterização e Satisfação dos Cuidadores Informais. Relatório de Outono 2018. Observatório Português dos Cuidados Paliativos Universidade Católica Portuguesa: Instituto de Ciências da Saúde. Acedido em http://www.apcp.com.pt/noticias/relatorio-do-observatorio-portugues-de-cuidados-paliativos-outono-2018-caracterizacao-e-satisfacao-dos-cuidadores-informais.html. Gonçalves, Alves, & Ramos, (2010). Plano Nacional de saúde 2011-2016: Análise especializada Cidadania e saúde um caminho a percorrer. Escola Nacional de Saúde Pública, Ministério da Saúde. Lisboa: Direção Geral da Saúde. Guarda, H.; Galvão, C.; Gonçalves, M. (2010). Apoio à família In Barbosa, A., & Neto I. G. Manual de Cuidados Paliativos. 2ª Ed. Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. ISBN 978-972-9349-22-5. Guimarães, M. C. V. (2009). Satisfação do Utente e Qualidade Apercebida – Avaliação no Centro de Saúde de Aldoar. Porto: Universidade Fernando Pessoa. Gulbeyaz, C. (2011). A psychometric validation study of the quality of life and Famcare scales in Turkish cancer family caregivers. Spring Science+Business Media B. V. 2011. Acedido em http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21347572

Hespanhol, A., Vieira, A., & Pereira, A. C. (2008). Monitorização da satisfação dos utentes do Centro de Saúde São João (2007 e comparação com 2002 a 2006). Revista Portuguesa Clínica Geral, 24, 363-372.

Observatório Português dos Cuidados Paliativos (OPCP) (2018) – Relatório de Outono de 2018, secção Caracterização e Satisfação dos Cuidadores Informais. Universidade Católica: Instituto de Ciências da Saúde. Acedido em https://www.apcp.com.pt/noticias/relatorio-do-observatorio-portugues-de-cuidados-paliativos-outono-2018-caracterizacao-e-satisfacao-dos-cuidadores-informais.html.

Oliveira, J. B. (2013). Comunicação em Cuidados Paliativos - a informação como um processo e não um ato. Revista Ciências em Saúde, 3(3), 1-10.

Ribeiro, M. (2008). Satisfação dos utentes face ao cuidar dos enfermeiros no serviço de urgência de Machico. Acedido em http://repositorio.ipv.pt/bitstream/10400.19/1557/1/SILVA%20Melania%20Cristina%20Correia,%20Satisfa%C3%A7%C3%A3o%20doente%20card%C3%ADaco%20com%20os%20cuidados%20de%20enfermagem.pdf.

Published
2020-06-01
Section
Life and Healthcare Sciences