PROJETO MEIOS: DA ESTRATÉGIA AOS RESULTADOS PRELIMINARES IDENTIFICADOS EM CONTEXTOS DE CUIDADOS DE SAÚDE

  • Alcinda Reis ESSS-IPSantarém; CINTESIS/UP; UIIPS, Portugal
  • Ana Spínola ESSS-IPSantarém; CINTESIS/UP; UIIPS, Portugal
  • Bárbara Backström CEMRI/UAb, Portugal
  • Cláudia Chaves ESSViseu-IPV, Portugal
  • Conceição Santiago ESSS-IPSantarém; CEMRI/UAb; UIIPS, Portugal
  • Cristina Santinho CRIA/ISCTE-IUL, Portugal
  • Emília Coutinho ESSViseu-IPV, Portugal
  • Maria Manuel Quintela CRIA/ISCTE-IUL, Portugal
  • Neila Karimo ACM I.P, Portugal
  • Teresa Dénis ESTSL-IPL, Portugal
Palavras-chave: competência cultural, cuidados de saúde, mediação intercultural, migrantes

Resumo

Nos cuidados de saúde às pessoas migrantes, há necessidade de considerarem-se caraterísticas étnicas e culturais e a barreira da língua. A omissão destes aspetos compromete a coerência na prática clínica nas organizações prestadoras de cuidados de saúde. O Alto Comissariado para as Migrações [ACM] desenvolveu em Portugal (2009-2012) o Projeto de Mediação Intercultural em Serviços Públicos [MISP], colocando mediadores interculturais nos contextos de cuidados de saúde: elementos neutros particularmente ativos na resolução de tensões. Findo o Projeto inicial cria-se em 2015 a Rede de Ensino Superior em Mediação Intercultural e o grupo temático da Saúde. Inicia-se um estudo no paradigma qualitativo, com orientação etnometodológica, para identificação dos resultados do MISP na saúde, designado MEIOS. Pretende-se evidenciar resultados preliminares obtidos, de acordo com a etapa do estudo desenvolvida. Conclui-se sobre a importância da inclusão de mediadores nos contextos, do reconhecimento do seu estatuto de neutralidade e da promoção da sensibilidade cultural.

Publicado
2018-12-21